"Melhor viver, meu bem, pois há um lugar em que o sol brilha pra você. Chorar, sorrir também e depois dançar, na chuva quando a chuva vem." Felicidade, de Marcelo Jeneci

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Cafofo

Este pano estava incompleto e perdido no cafofo lá de casa. Como fiz uma arrumação, e me desfiz de muita coisa, acabei encontrando-o "sob os escombros" daquele quartinho. Terminei o centro de mesa, fiz a blocagem e olha ele aí: ficou enorme e lindo! E olha que eu acho que o fio mesclado mascara o desenho, hein? Beijos.


quinta-feira, 18 de maio de 2017

Um pano maravilhoso!

Achei o gráfico no Pinterest e gostei tanto da receita que fiz dois panos iguais, só que com cores diferentes: um rosa e um amarelo. Ainda vou blocar o amarelo, mas o rosa está aí, ó:

Em cima, o resultado, que eu gostei muito, apesar da blocagem estar longe da perfeição. Depois, blocando. E, agora, o maravilhoso gráfico:

Enfim, depois volto com mais crochê! Beijos.

Tentando blocar

Faço crochê desde criança, mas nunca havia blocado uma peça. Sempre as estiquei com ferro meio frio, tal como minha mãe sempre fez. Mas depois de navegar por alguns sites e tentar deixar a preguiça de lado, me aventurei a fazer a blocagem do trabalho. Munida de placas de EVA, alfinete e imã para alfinetes, lá fui eu. Peguei um trabalho antigo, mais simplório impossível, e que sempre me pareceu pequenino. Deixei secando de uma noite para a outra e a minha surpresa é que o trabalho "apareceu", sabe? Ou seja, é simples, mas é belo! Diante do resultado bastante satisfatório, já coloquei mais um pano de mesa para blocar. Mas esse depois eu mostro aqui, com o gráfico. Beijos.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Quando a beleza faz valer a pena

Nesse período de inatividade no blog andei fazendo algumas coisas, principalmente crochê. Um dos panos que fiz (breve parênteses: nesses anos todos de crocheteira que tenho, pude identificar que minha predileção absoluta é pelos panos de mesa) foi esse pano mandioquinha. Quando escolhi a receita, achei que seria muito barbada, mas um pequeno erro de leitura do gráfico me fez ter que fazer uma carreira por duas vezes, ou seja, aprendi uma lição: "ler" o gráfico antes de começar é imprescindível. Escolhi uma linha perdida no cafofo lá de casa (Pingouin 1000) e não me arrependi, pois o pano ficou lindo! A dica: usar a agulha de madeira da Cléa, porque transforma qualquer linha numa maravilha para crochetar! Beijos.


Pano verde

Bem, depois que eu descobri as maravilhas do Pinterest, não paro de pinar! hehehe Uma das receitas que achei foi essa aí que estou postando, porque achei fácil e porque achei que seria legal fazer enquanto assisto Masterchef Brasil. Peguei um novelo de linha Cléa que a minha mãe me deu, de uma cor que eu nem curto, e não estava dando absolutamente nada pelo pano enquanto executava o gráfico. Ah, mas depois de pronto, que beleza! Fiquei encantada, apesar desse verde. Beijos a todas.


terça-feira, 22 de novembro de 2016

Chovendo no molhado...

Ou melhor, que palhaça que eu sou, repetindo a mesma ladainha de sempre, ao me desculpar pelo abandono do blog, etc, etc, etc.
Enfim, a postagem de hoje é devido ao fato de um amigo meu, fotógrafo de primeira, ter conseguido fotografar, com celular mesmo, os palhacinhos e o mágico que fiz em feltro para o aniversário do meu amado sobrinho afilhado.
O tema fui eu que escolhi: circo. Mas não um circo qualquer: um circo sem animais, porque lugar de bicho não é preso em nenhuma jaula, ainda mais quando pensamos nos animais da selva, ou seja, nos leões e elefantes.
Por isso, na festinha de 1 ano do meu pequeno, só teve palhaço, mágico e bailarina.
Para isso, fiz várias pesquisas na Internet, e um curso que eu achei muito legal foi o da Fernanda Lacerda para a Eduk. Dele aproveitei os moldes e as lições. Mas, é claro, que as minhas versões ficaram muito simplórias perto das daquela artesã, principalmente por falta de tempo, já que eu deixo muita coisa para cima da hora.
Mas, tirando essa questão, ainda assim, achei que o trabalho ficou lindo, e agregou cor e alegria à mesa da festa.
Bem, seguem as fotos.



As bandeirolas, por sua vez, foram copiadas (é isso mesmo, copiadas! Nada desse papo de "inspiração"...) da Andréia, da A Casca da Cigarra, que fez a festinha de 1 ano do filho dela também de circo.

Então é isso, pessoal! Beijos. Karina

segunda-feira, 15 de junho de 2015

O gorro de tricô mais fácil de fazer

Oi, Pessoal!
É, eu sei que é incrível a minha cara de pau de aparecer aqui neste espaço após 2 anos de sumiço, mas mesmo assim, nunca pretendo abandonar meu espaço de vez.
Estava procurando no Ravelry uma receita muito fácil de gorro de tricô, quando encontrei esta aqui, da Kathy North, que me pareceu estar correta, já que em outra oportunidade fiz um gorro de uma outra receita que ficou totalmente desproporcional (na verdade, o gorro tamanho normal ficou gigante e sambando na cabeça do meu pai, que é um homem grande e alto).
E, de fato, a receita está corretíssima, pois já fiz um gorro de tamanho médio (indicado mais para jovens e mulheres) e um tamanho grande (para homens mais altos). Depois fotografarei os gorros e mostrarei para vocês, mas o fato é que não tem nada demais, e por isso mesmo, gosto tanto desse modelo.
Fiz a tradução da receita, a encaminhei ontem para a autora, pedindo sua autorização para publicar. Para minha surpresa, ela respondeu prontamente, autorizando a publicação da tradução.
Sendo assim, segue a receita do gorro, traduzida livremente por mim.
Beijocas para todos, Karina.